Após perder concessão do Maracanã, Odebrecht cobra R$ 200 mi do RJ



Segundo empreiteira, governo não teria entregue quatro equipamentos previstos no edital de concessão

Uma das três empresas responsáveis pela reforma do Maracanã em 2014, ao lado de Andrade Gutierrez e Delta Engenharia, a Odebrecht cobra R$ 200 milhões do Rio de Janeiro em função de quatro equipamentos prometidos no edital de 2013 e não entregues pelo governo fluminense.

São eles o estádio de atletismo Célio de Barros, o parque aquático Júlio de Lamare, o Museu do Índio e a escola Friedenrich. As informações são do G1.

A cobrança por parte da empreiteira ocorre após o governador do Rio, Wilson Witzel, ter anunciado ontem (18) o cancelamento da concessão do estádio.

ESPORTE AO MINUTO